Projeto de sonorização em auditório de grande empresa do ramo de saúde - NetSeg

Projeto de sonorização em auditório de grande empresa do ramo de saúde

Áudio | 2019-11-25

Inspirar-se em projetos que deram certo é um ótimo jeito de oferecer resultados melhores para seus clientes. Ao falar nas soluções de som, conectores e cabeamento, isso não é diferente. O Grupo Discabos é especialista no assunto e, por isso, ficou responsável pelo fornecimento de sonorização do auditório do Grupo Fleury.

Embora o espaço fosse muito bem planejado, estava subutilizado. Então, Wagner Rezador, cofundador da Comntrol, foi chamado para resolver o problema. Para oferecer máxima qualidade, teve a ajuda do Grupo Discabos e a expertise de Francisco Pereira, coordenador técnico certificado CTS da empresa.

Quer descobrir como foi feito esse projeto? Nós conversamos com os dois profissionais e eles contaram as suas experiências. Confira!

Conheça os desafios enfrentados nesse projeto de sonorização

Apesar de já ter um sistema em funcionamento, a configuração do auditório Walter Leser já não atendia às necessidades atuais. O espaço, para até 250 pessoas, estava com uma qualidade muito inferior ao que era desejado. Por conta disso, o Grupo Fleury procurou o Wagner Rezador.

“Entramos no Grupo Fleury atuando na área de automação predial e, no decorrer dessa prestação de serviço, identificamos chances de projetos menores. O pessoal foi conhecendo o nosso trabalho e surgiu a oportunidade de fazer um retrofit no auditório principal deles, no Jabaquara”, relembra.

Sistema defasado e insuficiente

Com o auditório, o áudio era o maior problema e que precisava ser corrigido o quanto antes. “Eles tinham uma necessidade de otimizar o áudio. É um auditório muito bem projetado, mas o áudio que eles tinham já não atendia a demanda. Os eventos foram crescendo e a exigência de ter um áudio melhor e mais abrangente apareceu”, explica Rezador.

“Antes havia um som ambiente, uma linha de 70 volts, com algumas caixas embutidas no forro. Ele atendeu a demanda até um certo tempo, mas era subdimensionado pela capacidade do auditório, que tem 250 lugares”, completa.

Estruturas de chaveamento e conexão

Segundo o co-fundador, as principais dificuldades estavam relacionadas à estrutura de chaveamento. Ele relembra: “As questões envolvidas eram de chaveamento de áudio e vídeo, de iluminação e existiam algumas soluções que não estavam funcionando e precisavam ser substituídas. Além disso, as alternativas que existiam não eram integradas”.

Então, foi necessário buscar parceiros especializados para a sonorização do auditório do Grupo Fleury.

Veja como o Grupo Discabos foi fundamental na implementação do projeto

Foi nesse momento em que surgiu a parceria com o Grupos Discabos. Rezador entrou em contato com a empresa, que realizou uma demonstração sobre como seria o sistema utilizado. É o que diz Francisco Pereira, coordenador técnico do Grupo Discabos.

“Quem trouxe esse case para o Grupos Discabos foi o Wagner [Rezador]. Ele disse que tinha um auditório do Grupo Fleury, que já tinha um sistema de sonorização, mas que era deficiente e que reclamavam muito disso. Chamei o cliente para ir a outro local, onde temos um sistema de som fixo. No dia da visita, foram duas pessoas do departamento de TI ao auditório da Escola de música e Tecnologia e lá foi feita uma demonstração de 1 hora, onde falamos dos recursos do equipamento”.

Ao longo do processo, Pereira diz, foi possível perceber a empolgação dos tomadores de decisão com o que estavam vendo e ouvindo.

“Então, o cliente começou a dançar na cadeira e ficava comentando algumas coisas ao pé do ouvido do amigo e depois voltava a dançar na cadeira. Disse que, por ele, já estava decidido a fechar conosco, pois tinha gostado muito. Saiu de lá com a decisão tomada. O fato de ter escutado um sistema similar ao que seria implantado no Grupo Fleury foi importante, pois saiu impressionado”.

Planejamento do projeto

Após a decisão do cliente, o Grupo Discabos atuou para planejar quais seriam as soluções aproveitadas. Para isso, recorreram à tecnologia.

“Eu disse que faríamos uma demonstração, na qual foi utilizado um software chamado EASE. Então, o Wagner me passou uma planta e uma simulação tipo 3D e eu joguei essa simulação no EASE, onde estava todo o ambiente do auditório. Colocamos as caixas de som em pontos estratégicos e, dessa forma, mostramos para o cliente a quantidade de equipamentos que seriam suficientes para o local.

No software, nós conseguimos configurar a caixa de som em suas dimensões originais e com sua potência real, o que facilita a demonstração. Isso acontece porque esse sistema já é voltado para aparelhos da marca TOA”, relembra Pereira.

Especificação de equipamentos

A marca, inclusive, foi essencial para driblar os desafios da sonorização do ambiente. Rezador, que indicou o Grupo Discabos, é um grande entusiasta da fornecedora.

“Nós escolhemos a TOA porque o suporte é bom, a proximidade e a tratativa com o fornecedor é muito legal, é rápida, dinâmica e clara, e os produtos são excelentes.

O principal foi o apoio, nós especificamos corretamente e tivemos a confirmação deles, além de todo um acompanhamento. A matriz lá no Japão pediu fotos e o leiaute, pediu tudo. A TOA tem, inclusive, softwares e ferramentas a nossa disposição para ajudar a calcular a melhor maneira de atender aquela solução”, revela.

Suporte técnico

Para completar, o apoio técnico do Grupo Discabos foi fundamental quanto a essa escolha. “Além disso, tem o Francisco que é muito técnico e uma pessoa acessível, então nós nos sentimos seguros em trabalhar com as soluções da TOA no Grupo Discabos, foi bacana. O importante foi o apoio técnico e o acesso a eles, sempre muito fácil”, elogia Rezador.

Pereira ainda explica que, embora o Grupo Discabos não tenha feito a instalação, ajudou o time de Wagner a realizar a tarefa.

“Ele tirou algumas dúvidas conosco sobre qual a melhor forma de fazer a bandeja para sustentar as caixas de som, por exemplo. Então, foi passada uma orientação técnica de como fazer esse processo e ainda fizemos uma simulação para que ele tivesse uma ideia da cobertura das caixas”, relembra.

Veja as características do projeto de sonorização

Para atender às novas necessidades, o projeto de sonorização do auditório do Grupo Fleury envolveu a escolha de caixas de som e bons conectores. Segundo Rezador, foram instalados:

  • 1 par de Line Arrays;
  • 1 par de subwoofers (conjugados com os Line Arrays e posicionados no teto);
  • 1 amplificador digital de 4 canais (250 W por canal);
  • 1 conjunto de 2 microfones;
  • 1 matriz de áudio digital.

Rezador ainda completa: “Essa matriz tem um importante papel dentro de todo o contexto do tratamento de áudio, com ela é possível fazer uma boa equalização, um bom tratamento de todo o áudio que passa por ali, por meio do Digital Signal Processor (DSP)”.

Saiba como o projeto de sonorização beneficiou o Grupo Fleury

O resultado do projeto de sonorização do auditório do Grupo Fleury foi um sucesso absoluto. Graças à parceria com o Grupos Discabos, a qualidade dos equipamentos foi garantida e se mantém desde o começo de 2018, quando foi entregue.

“Os produtos são de qualidade, desde que foram instalados nunca fizeram um chamado técnico ou coisa do tipo, e eles são utilizados todos os dias naquele ambiente. Às vezes, são usados de segunda a segunda e os produtos estão ali funcionando direitinho sem dar nenhum problema”, revela o Rezador.

Aumento da funcionalidade

Além disso, houve uma preocupação completa com a funcionalidade do espaço. “O sistema permitiu que fizéssemos a angulação, de forma que a caixa da direita jogue o som para um ponto específico, enquanto a caixa do lado esquerdo também está virada para jogar o som para o ponto central do auditório.

Então, o som fica muito bem distribuído por todo o auditório. Esse tipo de sistema possibilita distribuir o som de forma direcionada, sem lançar o som para o chão ou teto. Por isso, ele é tão eficiente para um espaço pequeno”, explicou Pereira.

Composição visual

O consultor do Grupo Discabos aproveitou para destacar os diferenciais do produto e que ajudaram, inclusive, a garantir uma boa instalação no espaço.

“O nosso equipamento é leve e não polui o visual do auditório, pois o amplificador fica na sala técnica. Esse ponto foi importante, pois, a arquitetura do auditório é muito bonita, então, casou direitinho com o design do local.

Podemos dizer que nosso diferencial é termos um sistema compacto, que oferece qualidade de som, além de ser muito leve. Esses fatores foram determinantes para que o Grupo Fleury escolhesse o Grupos Discabos para implantar o serviço de som na empresa”, afirma.

Utilização multiuso

Os resultados já podem ser observados, pois hoje o grupo tem “condições de usar o áudio para música, para voz, para os dois ao mesmo tempo, há potência de sobra”, segundo Rezador.

Diante do sucesso obtido, Pereira também tem uma visão otimista sobre o que acontecerá, daqui para frente.

“Ninguém reclamou do serviço, apenas fez elogios e isso é bastante gratificante. E como no Grupo tem outros auditórios, os diretores agora dizem que a qualidade deles está muito ruim, perto do projeto que foi implantado pelo Grupos Discabos. Então, creio que futuramente, há uma possibilidade de implantarmos o sistema de som em outras unidades do Grupo”.

A sonorização do auditório do Grupo Fleury foi um sucesso graças à parceria estabelecida com o Grupo Discabos. Vale se inspirar nessa experiência para entender a relevância de ter bons fornecedores para as suas instalações!

Já que essa escolha é tão importante, entre em contato com o Grupo Discabos e veja como podemos ajudar!

https://discabos.com.br/blog/exemplos-de-projetos/sonorizacao-em-auditorio-empresa-de-saude